DebatesFalando sobre as eleiçõesNotícias

No primeiro debate, candidatos evitam ataques e prometem gestão eficiente

Debate morno ficou marcado por indecisão sobre a participação de Ogier Buchi até últimos instantes e por “ato falho” do petista Dr. Rosinha

Por: Matheus Gripp

A Band abriu, na noite desta quinta-feira (16), a sequência de debates eleitorais televisionados para o governo do estado do Paraná. Durante exatas duas horas e meia, os seis postulantes ao Palácio Iguaçu com pelo menos cinco representantes no Congresso Nacional se reuniram nos estúdios da emissora, no bairro Vista Alegre, em Curitiba, para discutir propostas para o próximo ciclo de gestão, que se inicia em 2019 e acaba em 2022. O debate ficou marcado pela tentativa em colar à atual governadora Cida Borghetti (PP) e ao ex-secretário Ratinho Junior (PSD) a imagem do governo Beto Richa, que comandou o Paraná nos últimos oito anos. Além deles, participaram João Arruda (MDB), Doutor Rosinha (PT), Professor Piva (PSOL) e Ogier Buchi (PSL).

Antes do início dos trabalhos, nos bastidores, havia a expectativa dos jornalistas e convidados presentes no estúdio da Band sobre a participação (ou não) do candidato Ogier Buchi. Ele, inclusive, foi o primeiro a chegar à sede da emissora, passando direto pelos repórteres que aguardavam na área reservada para a imprensa e se dirigindo para uma reunião com o departamento jurídico. Às 20h59, Ogier e o jornalista Douglas Santucci, responsável pela mediação do debate, dirigiram-se aos repórteres informando que, após consulta no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná e avaliação do corpo jurídico da emissora, o candidato do PSL estava confirmado no debate.

Ratinho Junior (PSD), que lidera as intenções de voto na corrida eleitoral, foi o candidato que menos respondeu perguntas no debate (Foto: Hellen Barbosa/RedeTeia.com)

Devido às regras do debate, o líder das pesquisas e com possibilidades reais de vencer a eleição no primeiro turno, o deputado estadual licenciado Ratinho Junior, surpreendentemente foi poupado das perguntas pelos seus adversários. Ficou atrás até mesmo do candidato professor Piva, e teve o menor número de questionamentos direcionados, com apenas três perguntas em todo o debate. Como esperado, a governadora Cida Borghetti foi bastante solicitada, terminando com sete perguntas respondidas. No entanto, o campeão de citações foi Ogier Buchi, tendo sido questionado oito vezes durante todo o embate.

Após as considerações iniciais dos políticos, com destaque para o candidato petista saudando o ex-presidente Lula com um “boa noite”, cada um teve meio minuto para responder a uma pergunta previamente definida: “Por que você merece o voto dos paranaenses?”. As respostas foram variadas. Ogier Buchi, o primeiro a responder, colocou-se como o candidato que representava a indignação dos paranaenses com a corrupção. João Arruda buscou firmar-se como o candidato da oposição. Pelo PSOL, o Professor Piva falou brevemente da sua trajetória acadêmica e disse não fazer parte dos “poderosos do poder”, tendo criado as filhas com o próprio salário de docente. Já Cida Borghetti destacou o “olhar feminino” sobre a campanha e o governo, afirmando gostar de cuidar das pessoas. Dr. Rosinha, por outro lado, optou por falar de segurança pública e defendeu saúde e educação para todos. Por fim, Ratinho Junior falou sobre um momento de ruptura na política regional e nacional, lembrando das famílias em constante alternância no poder paranaense e afirmando que será o candidato da modernização e do novo jeito de se fazer gestão pública.

Clima “morno”

O formato do debate buscava promover um confronto mais amplo entre os próprios candidatos, sem a definição prévia de temas. Ao longo de cada um dos cinco blocos, todos tinham uma pergunta à disposição para fazer. As regras não obrigavam que todos fossem questionados, o que, involuntariamente ou por estratégia política, provocou distorções, como o líder das pesquisas Ratinho Junior respondendo a apenas três perguntas, enquanto Ogier Buchi, com menos de 2% das intenções de voto, sendo questionado oito vezes.

Temas como ParanaPrevidência, saúde, educação, corrupção e agronegócio estiveram em pauta. Uma das expressões mais utilizadas por todas as candidaturas foi “gestão eficiente”, sem o detalhamento necessário de como isso seria feito. Em meio a um debate morno, com poucas provocações entre os presentes no estúdio, um dos momentos mais tensos aconteceu no quarto bloco. Ao direcionar uma pergunta para o candidato Ratinho Junior, o ex-deputado Dr. Rosinha propositalmente se referiu ao deputado estadual como “Beto Richa”, corrigindo-se logo na sequência. Irritado, Ratinho disparou contra o petista, afirmando que, “com a barba branca, era um absurdo fazer uma piada dessas em um debate sério”.

O petista Dr. Rosinha, em um dos raros momentos de tensão no debate, provocou a ira do candidato Ratinho Junior ao chamá-lo, propositalmente, pelo nome do ex-governador Beto Richa (Foto: Hellen Barbosa/RedeTeia.com)

No bloco final, espaço reservado para cada um dos convidados fazer as considerações finais, a ordem de fala foi invertida. Ratinho Junior, o último a se apresentar, encerrou sua participação agradecendo pela confiança dos paranaenses, refletida nas intenções de voto, e reafirmando que desejava ser eleito para promover uma ruptura política no Paraná. Doutor Rosinha foi o segundo a se despedir e, lembrando mais uma vez do ex-presidente Lula, focou nas mulheres, exaltando sua vice, Anaterra Viana, e assumindo o compromisso de criar a Secretaria da Mulher em um eventual governo. Cida Borghetti, na sequência, pediu o voto de confiança dos eleitores para dar continuidade à gestão iniciada em abril, após a saída do ex-governador Beto Richa.

O Professor Piva pediu aos eleitores que acreditassem em suas propostas e se colocou à disposição para representar as classes mais humildes da sociedade. João Arruda, o penúltimo a se dirigir aos eleitores, exaltou a família, os quatro filhos e as mulheres, citando sua vice, a professora Eliana, que estava em uma sala reservada à cúpula emedebista. Lembrou da sua atuação enquanto parlamentar no Congresso Nacional e reforçou o rótulo de candidato oposicionista. Por fim, Ogier Buchi agradeceu à Band por ter aguardado até o último momento pela sua participação no debate, saudou os eleitores que haviam mandado mensagens nas últimas horas e prometeu representá-los na disputa, como um político “de direita e liberal”.

A sábia

O Núcleo de Fact-checking do curso de Jornalismo da Universidade Positivo acompanhou o debate e fez checagem das informações em tempo real. É possível acompanhar o resultado das no Twitter.